14 de abr de 2008

Campos do não-discursivo,

de John Cage até à imagem dos meios electrónicos e digitais

Miguel Fukutomi

  • texto [at] fba . up . pt

2008.03.03


A peça 4´33´´, de John Cage (1952), momento canónico da vanguarda do pós-II Grande Guerra, é um espaço deixado em aberto onde o silêncio se sobrepõe ao silêncio, tal como nas all-white paintings de Rauschenberg, o branco se sobrepõe ao branco, formando, como o próprio dizia, superfícies onde o pó, as luzes e as sombras se enquadram. Estes são dois marcos decisivos para o posterior desenvolvimento dos movimentos das neo-vanguardas. Mas constituem também momentos que, em vários aspectos, preconizam o desenvolvimento de práticas artísticas actuais a que habitualmente nos referimos como media art. [Ler mais...]